[Revelação] Os Porquês Ocultos de Relatos de Viagem Reconhecidamente Imperfeitos

Tempo de leitura: 6 minutos

Este artigo é uma autoinvestigação baseada no livro de Brené Brown: A Coragem de Ser Imperfeito.

Quais seriam os porquês ocultos de um livro tão autobiográfico?

AutoInvestigador Secreto
AutoInvestigador Secreto

Será que Quero Chamar a Atenção?

Durante a leitura do livro de Brené, me deparei com o termo escudo holofote’, que é uma forma de expor-se que acaba por ofuscar e ofender, como forma inconsciente de defesa.

A superexposição como mero exibicionismo pode invadir, causando um efeito contrário à intimidade — Brené Brown

O livro que escrevi, 2002 – relAtos eFeitos de Muita Viagem, revela muito sobre mim. Então me interroguei:

— Será que quero chamar atenção?

http://relatosefeitos.com.br/osporques

Li ainda outra sentença que me fez ruminar sobre os porquês de eu querer publicar um livro tão autobiográfico:

Revelar a intimidade pode ser uma pseudovulnerabilidade.

(E de novo me veio: Será que Quero Chamar a Atenção?!)

Antes de continuar com nossa autoinvestigação ultrassecreta, seguida d’Os Porquês mais Loucos (trecho final deste artigo), quero te perguntar duas coisas:

— Você ainda não conhece o trabalho dessa mulher (Brené Brown)?

— Você já ouviu falar no Poder da Vulnerabilidade?

TED Talks - O Poder da Vulnerabilidade
(Assista assim que puder. Vale a pena!)


Bem, continuando a ultrainvestigação autossecreta.

Na mesma leitura — A Coragem de Ser Imperfeito —  encontrei uma pista (que me trouxe mais perguntas…)

Viver com Ousadia:

Deixar as intenções claras,

impor limites

e cultivar vínculos.

autoinvestigacao

— Intrigante… Mas o que isso quer dizer?!

 

Isso quer dizer que a investigação está esquentando!

Não expor-se seria covardia; superexpor-se, despropósito.

É imperioso desvendar esse mistério! [frase de efeito suspeitoso; ou clichê de romance policial barato]

 

Mais Perguntas me Questionando

Gostaria que o livro 2002 – relAtos eFeitos de Muita Viagem  chegasse de forma fluida, àqueles que podem suportar o peso da história (a meu ver, é peso ‘pena’ — mas como posso saber a medida da balança de cada um?)

Há empatia? Há reciprocidade? Quem tem o direito de ouvir minha história?

Tudo isso veio à tona, quando resolvi reabrir a gaveta* onde havia guardado meu livro por sete anos…

2002 relAtos eFeitos na gaveta
* gaveta simbólica. Na verdade, o que reabri foi o arquivo 2002.doc de um pendrive…

Falo um pouco mais Sobre Sonhos na Gaveta, em 11 Meses de Muita Viagem – Relatos de um Jovem Brasileiro no Exterior.

— Sei… Mas e a investigação?AutoInvestigador Secreto

 

Enfim, o Escudo Holofote! Questionando Minhas Motivações

escudo holofote
A melhor AutoDefesa é a SuperExposição?

A seguir, minhas respostas às questões sugeridas no livro de Brené Brown, a fim de sondar-me o Escudo Holofote:

.

1) Porque estou contando isso (relAtos de Muita Viagem)?

Porque foram, quiçá, os momentos mais marcantes, transformadores e ousados que já vivi.

http://relatosefeitos.com.br/osporques

.

2) Que resultados espero?

— Espero que este livro traga boas reflexões sobre as escolhas que fazemos na vida;

— Espero que seja um deleite artístico-literário, para quem quiser apreciá-lo dessa forma;

— Espero bons frutos, pois todo o processo de criação foi todo muito cheio de vida.

.

3) Que emoções estou experimentando?

— Medo. Medo de ser mal-compreendido, julgado e rejeitado. Medo de me expor;

Satisfação. Por ter concluído um trabalho. Por estar ousando publicá-lo;

— Apreensão. Liberdade. Mais trabalho (Ei, isso não é emoção!). Conexão. Empolgação.

 .

4) Minhas intenções estão alinhadas com meus valores?

Acredito que sim. Meus valores mais essenciais são de evolução, cura, amor e sabedoria; vida e aprendizados.

.

5) Há algum resultado, reação ou falta de reação que irá ferir meus sentimentos?

Um comportamento condenatório, muito agressivo e desrespeitoso por parte de algum(a) leitor(a), talvez? Sim.    :'(

.

6) Essa exposição está a serviço da criação de algum vínculo*?


* vínculo: a autora se refere a vínculos genuínos, de relacionamentos que merecem nossa atenção, isto é, de pessoas que amamos e que se importam com a gente – pessoas importantes.


Provavelmente, assim espero, este trabalho vai me colocar em contato com pessoas e situações propícias para minha evolução.

vinculos

Talvez, a princípio, o livro não seja motivo de orgulho para meus pais, ou minha tia, por exemplo. Não tenho intenção de chocá-los com minhas revelações, mas talvez aconteça…

Que esse livro chegue a leitores afins (realmente a fim de lê-lo). Foi por esse motivo que coloquei um pequeno aviso no início do livro: “Em caso de irritação, descontinuar o uso”.

.

7) Estou pedindo às pessoas [importantes] em minha vida aquilo que genuinamente preciso?

Acho que sim: Ajuda. Eu sempre preciso de alguma ajuda (apoio, compreensão, dinheiro, …)

Continue por Dentro

Receba as novidades do site em 1ª mão 😉

Ainda não acabou (é muuuita viagem!)

 

[Catarse] Os Porquês Mais Loucos e Sem Base Científica

imagem louca

#1: Preciso lançar esse livro, porque se eu o ‘enterrei’ por conta de um relacionamento que morreu, nada melhor do que desenterrar o livro e aproveitar a cova para enterrar o relacionamento. Ecologicamente correto.

Explico: arrumei uma namorada na época em que eu estava finalizando o livro. Quando ela o leu (sem pedir), teve uma crise de ciúmes e eu, muuuuito otário que sou fui, lhe disse que não levaria aquilo (um sonho meu! Muitas e muitas exclamações!!!) adiante.

E assim o fiz. A versão impressa eu guardei em um baú, e os arquivos ficaram no pendrive, in-to-ca-dos.

Bem, depois de uma concessão absurda como essa, que relacionamento saudável eu poderia querer para mim? FIM.

(…)

#2: Não estou satisfeito com meu trabalho atual, e se eu não fizer nada para mudar minha situação (tipo: enfim lançar um livro que já estava pronto), em breve estarei morto por dentro ou sem forças (ânimo, fé, etc.) para acreditar que é possível trabalhar em algo que gosto.

Ou então passarei em mais um (o quinto, dos infernos do) concurso público, para provar pra mim mesmo e pro mundo todo que eu sou muito bom em conseguir coisas que não têm nada a ver comigo. (Super-Fodão, né?)

Ramiragem super-fodao
Não tem nada a ver? Deixa comigo!

 

Concluindo o Caso

Neste post, Os Porquês Ocultos de Relatos de Viagem Reconhecidamente Imperfeitos, foram investigadas as motivações para publicar a versão digital do livro 2002 – relAtos Efeitos de Muita Viagem, que estava paradão há muito. Entre outras coisas:

੦  Averiguei a possibilidade de estar usando um Escudo Holofote (para o qual “a melhor autodefesa seria o ataque”);

੦  Reconheci que tenho medo de me expor e ser ferido.

please-be-gentle
Por favor, seja gentil. Eu tenho sentimentos também.

੦  Abracei os princípios para viver com ousadia, segundo Brené:

  • deixar as intenções claras,
  • impor limites e
  • cultivar vínculos;

੦  E, neste exato último parágrafo, compreendi que o livro estava aguardando o blog para serem publicados juntos, uma vez que eles nasceram um para o outro complementar.

.

❤ Gostou? Compartilhe! 

Já resgatou algum sonho da gaveta? Comente!

 Em off? Entre em contato. ✉